terça-feira, 28 de abril de 2009

MATEMÁTICA



Moro num lugar quente, mas hoje chove e faz frio. Não aquela chuva feliz dos finais de tarde, chuva cheia, que vem para lavar o pó, alegrar as plantas e refrescar o calor. É uma chuva fina, constante, que desce de um céu de chumbo, tão pesado que acaba se misturando com o mar numa linha fina. O frio e o vento juntos produzem o efeito de pequenas lâminas. E me sinto assim, mesmo num lugar onde tudo deveria ser bom, iluminado, pleno, farto.
A explicação poderia ser complicada, cheia de meandros filosóficos, de firulas conceituais, mas é muito, muito simples. Estou assim porque sou incompleta. Sou incompleta porque não sou uma, mas a metade de dois. Matemática da mais simples. Estou incompleta porque mesmo com todo o discurso de auto-suficiência das pessoas do meu tempo, não gosto de estar só. E mesmo os elogios, as cantadas, as observações de admiração e encantamento deixam um certo gosto amargo no final. Afinal, se sou ‘tão tudo’, deveria me bastar, não? Então o dia passa, tomo outro gole de chá e imagino se um dia vou chegar a ver completar-se a tal equação.

6 comentários:

Eduardo Martins disse...

"Sou incompleta porque não sou uma, mas a metade de dois. Matemática da mais simples."
1/2+1/2=1 ou 2/2=1, logo você é uma. Ou uma em busca de não estar só...

Beto Guimarães disse...

É por isso que nunca gostei muito de matemática. Uma equação fácil como essa e não conseguimos enxergar a solução. Parabéns pelo ótimo texto. Abraços.

. disse...

Ótimo texto!

Seguirei o blog :)

melissa anjos disse...

ai zoio verde deixa essa matematica de lado!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
"espero a chuva cair na minha casa, no meu rosto... nas minhas costas largas que afagas enquanto durmo..." - zelia duncan

ZÉ INACIO GODOY disse...

por acaso você...ou a senhora é
leonina!???
jogamos as letras na maquina e a maquina, por si, ou por nós,diz algo a nosso respeito...
não me basto, mas suporto as limitações...!
e mesmo nas ficções deixamos escapar
um pouco de nos mesmos...
ó duvida cruel...ser ou não ser...
lendo suas letras cai nas suas palavras e quase adivinhei você!

Léo Santos disse...

Essas tais equações da vida dificilmente se completam, o mais certo é viver a vida sendo feliz e imcompleto!

Um abraço!